Vasculhem o planeta, o avião sumiu!

voo Adson Fernandes

Há mais de duas semanas o sumiço do avião 777 da Malaysia Airlines, com 239 pessoas a bordo, intriga especialistas de todas as partes do mundo e a cada dia amplia o número de países envolvidos na busca.
O desaparecimento entra para história da aviação como um dos mais intrigantes e gera inúmeras especulações e teorias para explicar o que poderia ter ocorrido. As suposições vão desde acidente com o avião submergindo nas águas da Oceania, passando por sequestro por motivo de roubo, o que seria um raro caso de pirataria aérea, ou até mesmo alguma ação terrorista.
Na semana passada decidi não abordar o tema acreditando que nessa semana o mundo pudesse obter as respostas para o caso, a semana passou e poucas respostas surgiram.
Como pode um avião desse porte desaparecer sem deixar pistas?
Essa pergunta intriga a todos e a cada dia aumenta a angústia dos familiares dos passageiros e tripulação do voo…

Curiosamente é o Boeing 777 uma das aeronaves mais seguras, equipada com tecnologia que possibilita ser emitido sinal de socorro imediatamente quando necessário. Mas não houve sinal e nem pedido de socorro.

Só para se ter uma ideia, Foram mais de cinco milhões de voo desde 1995 e o único registro de acidente com esse tipo de avião aconteceu no solo e aqui nos EUA, em julho de 2013 em San Francisco, quando em um voo proveniente de Seul, Coreia do Sul, se chocou com a pista causando a morte de três pessoas, sendo que uma delas foi atropelada por um carro usado no resgate.
Se observarmos o avanço tecnológico usado pelo mundo afora, com satélites que dão a localização exata de qualquer pessoa com uso de um simples celular. Se levarmos em consideração o quanto o mundo se encurtou com esses avanços em tempos de facetime. Ou até mesmo a assustadora capacidade de países de obterem dados pessoais, é difícil realmente imaginar que tal sumiço tenha acontecido.

Contudo esse não é o primeiro caso de avião que desaparece sem deixar vestígios, um caso mais recente aconteceu com um avião da Air France, que ia do Rio de Janeiro para Paris em junho de 2009 e caiu no oceano Atlântico, mas que só foi possível entender o que aconteceu anos depois até que encontrassem as peças da aeronave.
Enquanto isso acredito eu, que familiares dos passageiros nutrem a esperança de que seus entes queridos possam estar vivos, mesmo que sob a ameaça de algum grupo terrorista, ainda que até agora nenhum grupo tenha se pronunciado como responsável pelo ocorrido.
O que se espera é que o caso possa ser solucionado o mais rápido possível, do contrário só aumentará a sensação de insegurança e certamente afetará o comportamento de milhões de pessoas que tem o avião como meio de transporte para se locomoverem pelo planeta.
Tenham todos uma ótimA SEMANA!

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump