Trump: com apoio dos democratas, lei de imigração “será fantástica”

 Donald Trump disse à mídia na quinta-feira(5) que espera que “tudo funcione muito bem” para os destinatários da Ação Diferida para Chegada de Jovens Imigrantes  do DACA.

Trump encontrou-se com o vice-presidente Mike Pence e legisladores republicanos no dia 4 de janeiro para discutir questões de imigração, incluindo algum tipo de anistia para os beneficiários da DACA.

Em outubro de 2017, Trump rescindiu a proteção temporária para os destinatários da DACA e deu um prazo até março para que o Congresso apresentasse uma solução permanente.

Os destinatários elegíveis da DACA entraram ilegalmente nos Estados Unidos com seus pais quando tinham menos de 16 anos e, em 2012, o ex-presidente Barack Obama lhes deu uma suspensão renovável de dois anos de deportação e autorização de trabalho.

“Posso dizer-lhes que os republicanos querem ver isso funcionar muito bem. Se tivermos apoio dos democratas, acho que a proposta do DACA será fantástica”, disse Trump em 4 de janeiro.

Em outubro, Trump delineou suas prioridades para a reforma da legislação de imigração, e ficou claro que suas prioridades devem ser adotadas em troca de qualquer tipo de anistia para a DACA.

“Qualquer legislação sobre a DACA deve proteger a fronteira com um muro”, disse Trump.  “Isso deve dar aos nossos oficiais de imigração os recursos de que precisam para impedir a imigração ilegal e também para parar a estadia além do prazo dos vistos. E, fundamentalmente, a legislação deve acabar com a  migração em cadeia. Deve terminar a loteria de vistos”.

Trump também quer a adoção de um sistema de imigração baseado no mérito em lugar do atual sistema familiar que encoraja a migração em sequencia de beneficiários.

Kirstjen Nielsen, a secretária da segurança interna dos EUA, disse que estava ansiosa para trabalhar na reforma da imigração.

“Como vocês sabem, a segurança nas fronteiras, nós temos de ter o muro e a tecnologia e o pessoal que acompanham isso, mas também precisamos fechar as lacunas que pudermos o mais rapidamente, porque essa é uma parte fundamental da segurança nas fronteiras”, disse ela. “Então eu estou muito ansiosa para trabalhar com vocês e outros no Congresso para fazer isso.”

A legislação atual no Senado – a Lei DREAM, ou S.1615 daria cartões de residência permanente nos EUA a cerca de 690 mil destinatários da DACA, bem como aproximadamente outras 1,3 milhão de pessoas, de acordo com uma estimativa do Escritório de Orçamento do Congresso (CBO). A DREAM é um acrônimo em inglês para a Lei de Desenvolvimento, Alívio e Educação para Menores Estrangeiros.

A Lei DREAM foi apresentada ao Senado pelo senador Lindsey Graham (R-S.C.) em julho e tem suporte bipartidário.

O CBO estima que 3,25 milhões de estrangeiros ilegais satisfaçam os critérios básicos de elegibilidade da Lei DREAM, mas, com base nas taxas de inscrição da DACA, cerca de 2 milhões seriam aplicáveis e aprovados para o status de residente permanente legal (LPR) condicional ou cartão verde green card. Espera-se que os destinatários trabalhem para remover a parte condicional de LPR e solicitem a cidadania naturalizada num prazo de oito anos.

“Suas idades no momento em que recebessem o status variariam entre 14 e 50 anos, com uma idade média beirando os 30 anos”, afirma o relatório da CBO. A pesquisa indica que a grande maioria dos receptores condicionais de LPR seria do México ou da América Central.

O CBO estima que a Lei DREAM tenha um custo líquido de US$ 26 bilhões nos próximos 10 anos, assumindo que apenas 2 milhões dos 3,1 milhões de estrangeiros elegíveis subscrevam para isso.

Os membros do grupo de trabalho do Senado sobre imigração que se encontraram com Trump incluíram o presidente do grupo e senador Chuck Grassley (R-Iowa) e os senadores Thom Tillis, James Lankford (R-Okla.), John Cornyn (R-Texas), Tom Cotton (R-Ark.) e Lindsey Graham (R-S.C.).

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump