Táxi x Uber: os dois lados da briga

14/08/2015. Credito: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press. Brasil. Belo Horizonte - MG. Aplicativo UBER X. Na foto, o motorista Cristian Rodrigo da Silva.

Condutores como Cristian da Silva estavam entusiasmados com o serviço

Milhares de taxistas têm protestado em todo o Brasil contra o Uber, serviço de transporte alternativo criado em 2009 e que ganhou força em vários pontos do País no ano passado.

Quem se opõe ao aplicativo argumenta que a atividade é ilegal e defende que o serviço seja proibido. Já a empresa diz oferecer um novo modo de se locomover na cidade e propõe a diminuição de trânsito e o aumento de empregos.

Há alguns pontos divergentes entre o transporte público do particular. A bandeirada do táxi em São Paulo, por exemplo, é de R$ 4,50. Já no Uber depende da cidade na qual se usa o aplicativo. Também há diferenças na forma de pagamento: os taxistas aceitam dinheiro, cartão de débito ou crédito e os motoristas parceiros da empresa de tecnologia recebem apenas por meio da terceira opção.

Os veículos entre os dois serviços também podem ser diferentes. Enquanto não há nenhum padrão de carro para os táxis, o Uber, que tem duas categorias, exige carros sedan de luxo para o UberBlack e carros compactos para o Uber X (disponível apenas na capital paulista).

Em meio à briga, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) decidiu criar um projeto que regulamenta o Uber em todo o Brasil. A medida começou a tramitar na Câmara em 12 de agosto.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump