Polícia detém centenas de imigrantes ilegais

Manifestantes participam de um protesto anti-Donald Trump, pró-imigração.

Serviço de Imigração e Fronteiras fala em operação de rotina, mas ativistas acreditam que Donald Trump começou a a cumprir as suas ameaças de aumentar as detenções e deportações maciças de ilegais.

Os serviços de imigração dos Estados Unidos estão a realizar uma série de buscas e operações ‘stop’ em, pelo menos, meia dúzia de estados em todo o país, detendo um número indeterminado de imigrantes ilegais.

O Los Angeles Times refere a prisão de mais de 160 pessoas, na sua maioria sem qualquer registro criminal, só no Sul da Califórnia.
Gillian Christensen, porta-voz do Departamento de Segurança Interna, que integra o Serviço de Imigração e Fronteiras, confirmou à comunicação social que esta semana se realizaram rusgas em casas e locais de trabalho em Atlanta, na região de Los Angeles e em duas outras cidades que se recusou a identificar.

Mas a responsável afirma tratar-se de uma “operação de rotina” e não de uma intervenção especial no âmbito da nova política do presidente Donald Trump. A imprensa fala em operações similares noutras regiões da Califórnia, no Texas e Carolina do Norte.

“Muitos dos detidos tinham detenções anteriores por crimes graves ou violentos, como por exemplo, abuso sexual de menores, uso de armas e roubo”, afirmou o Serviço de Imigração e Fronteiras em comunicado. “As detenções abrangeram pessoas de 12 nacionalidades. 95% foram homens.”

No entanto, esta não é a visão das associações de defesa dos direitos dos imigrantes, que reagiram de imediato, dizendo que se trata claramente de uma operação coordenada e indicada pelo presidente Donald Trump. Os relatos sobre agentes a efetuar detenções entupiram as linhas de ajuda de organizações e as redes sociais e desde ontem à noite(16) que em várias cidades há protestos nas ruas contras estas batidas da polícia.

“Há 30 anos que trabalhamos com a comunidade e podemos dizer, pela nossa experiência, que ontem (quinta-feira) não foi um dia normal, e isto parece uma operação coordenada”, disse Angélica Salas, diretora da Coligação pelos Direitos Humanos dos Imigrantes de Los Angeles (Chirla), citada pela agência de notícias espanhola Efe.

“A deportação começou”, afirma um comunicado da Grassroots Leadership, uma organização de advogados especialistas em imigração, no Texas, referindo-se ao foto de o novo presidente americano ter ameaçado expulsar os cerca de oito milhões de imigrantes ilegais que residem no país.

Kevin De León, presidente interino do Senado da Califórnia, juntou-se a outros representantes estaduais e federais para exigir às autoridades mais informação sobre as pessoas detidas, para garantir que têm acesso a representação legal e que é respeitado o seu direito a um processo justo. “Estou muito preocupado com o bem-estar da nossa classe trabalhadora, mas também estou muito indignado com este Presidente e as suas políticas que vão contra o espírito deste grande país”, disse à Efe o político democrata.

O congressista democrata do Illinois Luis Gutiérrez lamentou que Trump quisesse fazer uma demonstração de autoridade expulsando “um grande número de imigrantes” e criticou a ausência da “necessária supervisão” e “processo justo” nestes casos.

Fonte: Efe Noticias

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump