Polícia descobre esquema para obter visto americano com documentos falsos

Quatro pessoas foram presas no Consulado Americano, no Centro do Rio e contam detalhes do esquema.

A Polícia Civil do RJ prendeu na tarde desta quinta-feira (6) três pessoas que tentavam obter o visto de entrada nos Estados Unidos com documentos falsos. Um homem que vendeu os papéis forjados também foi preso. A ação, em flagrante, foi no Consulado Americano no Rio, no Centro.

Policiais da representação desconfiaram da documentação apresentada por três mineiros de Governador Valadares e acionaram a 5ª DP (Mem de Sá). Agentes entraram na seção, confirmaram a fraude e deram voz de prisão a três solicitantes.
José Carlos de Sousa, 32 anos; Francisco Dione Gonçalo, 24; e Diego Bartolomeu Assis, 22, admitiram à polícia que pagaram US$ 13 mil cada um para Merques Rosemberg de Carvalho, 29, providenciar os documentos.
Merques aguardava do lado de fora do consulado e não resistiu à prisão. Seu comparsa, identificado como Bruno Torres Ramos, conseguiu fugir. A dupla também é de Governador Valadares. Contracheques, declarações de Imposto de Renda e demais documentos apreendidos foram adulterados para que apresentassem uma renda superior à verdadeira e demonstrassem vínculos fortes com o Brasil.
Merques e Bruno trouxeram José, Francisco e Diego de Minas de carro para o Rio de Janeiro para que tentassem obter os vistos americanos de forma fraudulenta.
Os três solicitantes vão responder por uso de documento falso; Merques e o comparsa responderão pela falsificação do documentos.

Comprovação de renda é exigida –  Todo turista brasileiro que deseja visitar os Estados Unidos precisa solicitar um visto. O processo inclui o preenchimento de um longo formulário e uma entrevista na seção consular. O aplicante deve comprovar ter meios de pagar pela viagem e indicar a intenção de retornar ao Brasil – o que os EUA chamam de “vínculos”.
Por essa razão, o Departamento de Imigração recomenda que o solicitante leve à entrevista cópias do contracheque e do extrato bancário, quando não cartas assinadas pela chefia no trabalho.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump