Plano de imigração de Obama sofre nova derrota em tribunal

President-Obama-Immigration-Reform

Não vendo nenhum progresso sobre a reforma legislativa no Congresso, Obama aguarda

O plano do presidente Barack Obama para proteger da deportação milhares de imigrantes indocumentados teve ontem outro revés, quando um tribunal de apelações dos Estados Unidos recusou o pedido de 26 estados norte-americanos que argumentam que Obama ultrapassou a sua autoridade.
Por uma votação de dois para um, que pode abrir caminho a uma decisão do Supremo Tribunal, os juízes do Tribunal de Apelação de Nova Orleans decidiram que a acção executiva de Obama deve permanecer em espera, pendente de processos judiciais em curso.
A decisão atrasa ainda mais o plano de imigração de Obama, que foi bloqueado pela primeira vez em Brownsville, Texas, em Fevereiro. Os queixosos, todos os estados liderados por governadores republicanos, alegam que o governo federal ultrapassou a sua autoridade ao exigir protecção adicional para os imigrantes ilegais.
Pelo contrário, a administração Obama afirma que está dentro de seus direitos pedir ao Departamento de Segurança Interna que use discrição antes de deportar imigrantes não-violentos que tenham laços familiares com cidadãos norte-americanos. O caso tornou-se no epicentro dos esforços de Obama para mudar a política de imigração americana, mas os republicanos, que defendem leis mais restritivas em termos de aceitação de imigrantes, não querem novas concessões a quem chega de novo ao país.
Não vendo nenhum progresso sobre a reforma legislativa no Congresso, Obama anunciou em Novembro que iria tomar medidas para ajudar os imigrantes. “Estamos decepcionados, mas isso não é inesperado em todos”, disse Marielena Hincapie, diretora do National Immigration Law Center. Mas, numa altura em que o país está cada vez mais envolvido na pré-campanha eleitoral para as presidenciais do próximo ano, Obama tem pouca margem de manobra.
Sabendo disso, os republicanos insistem que qualquer mexida nas leis da imigração deve ficar pendente para o próximo mandato.

Notícias Relacionadas

  1. Luciene
    nov 10, 2015 - 07:23 PM

    Eu mim cinto como indigente neste pais, tudo q Mais quero e senter ser gent,como tem outras pessoas que tambem se sente assim,desde quando eu cheguei aqui neste pais eu pago meus imposto.gostaria de dirije meu Carro sei medo,poder visitar outros paises e voltar e continuar trabalhando normalmente,como pessoas normais,e trabalhadeira q sou e gosto do q faz.um abraço

    Reply

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump