Os golpes praticados no Brasil que tiram dinheiro do seu bolso

Confira os golpes mais comuns praticados contra o cidadão e veja todas as formas se proteger desses criminosos.

golpesQuem perde um documento de identidade ou tem um cartão de crédito clonado, além do transtorno que isso representa, pode ganhar uma dor de cabeça daquelas. Criminosos fazem uso dessas informações para firmar negócios sob falsidade ideológica ou mesmo para obter crédito. A conta, é claro, sobra para a vítima.
Segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes – Consumidor, o mês de maio registrou 171.325 tentativas de fraude envolvendo roubo de identidade. Isso representa um caso a cada 15,6 segundos no País. Em relação a abril, houve alta de 9,4%. No Espírito Santo, de acordo com o delegado Orly José Fraga Filho, titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (Defa), somente no mês de maio, 27% dos atendimentos da delegacia foram relacionados a fraudes envolvendo documentos pessoais. “Os golpistas geralmente utilizam documentos roubados para abrir empresas no nome da vítima, que só descobre o golpe, quando começa a receber as contas em casa”, explica.

Cartão clonado
A jornalista Ariane Franco, 29 anos, teve o seu cartão de crédito clonado durante uma viagem a Nova Iorque, em 2012 e passou por um sufoco. “Meu marido utilizou o cartão para pagar o estacionamento de um shopping. Ele até notou que a máquina demorou demais para devolver o cartão, mas não imaginamos que seria algo grave”, conta.
Segundo Ariane, o susto veio depois, quando a operadora entrou em contato e informou que iria bloquear o cartão porque havia muitas compras feitas. “Meu marido começou a receber mensagens no celular referentes às compras feitas. O valor estava em R$ 21 mil. Os gastos eram de supermercado a lojas de departamento. Entrei em contato com a operadora e consegui resolveu o problema em sete dias. Tive sorte que a operadora entendeu que houve uma fraude. Mas foi um transtorno muito grande, sem dúvida”, lembra.

dentro da lojaGolpe dentro de loja
A dona de casa X. (ela preferiu não se identificar), 38 anos, aprendeu uma lição depois de ter problemas com o seu cartão de crédito em uma loja.
“Na hora de pagar pela minha compra, vi que a moça do caixa levou o meu cartão de crédito para uma mesa um pouco distante de onde eu estava. Não consegui ver o que ela estava fazendo”, conta.
Segundo a dona de casa, seu cartão foi clonado e ela passou a receber faturas em casa referentes a compras que ela não havia feito.
“Foi um transtorno. Tive que provar à operadora que não havia comprado tudo aquilo. Agora sempre fico de olho onde está o meu cartão”.

Prejuízo de R$ 17 mil
Um senhor que tem medo de ser identificado, teve um prejuízo de R$ 17 mil ao dar entrada na compra de um veículo, em uma concessionária no município da Serra. “O veículo foi pago em uma segunda-feira, com um cheque original e na terça-feira sacaram esse mesmo cheque na forma de um clone. Quando o verdadeiro entrou foi devolvido por fraude”, explica o delegado Orly José Fraga Filho, titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (Defa). Pessoas idosas e com baixo grau de escolaridade geralmente são as vítimas mais comuns desse tipo de golpe, de acordo com o delegado.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump