Número de mortos passa de 160 após novos ataques em Gaza

gazadestruicaoap05Pelo menos 67 palestinos morreram neste sábado nos ataques israelenses contra a Faixa de Gaza, no dia mais sangrento desde o início das hostilidades na terça-feira, elevando o número total de mortos para 169, de acordo com os serviços de emergência palestinos.

O ataque mais violento, ocorrido na noite deste sábado no bairro de Tuffah em Gaza, deixou 18 mortos, de acordo com o porta-voz dos serviços de emergência, Ashraf al-Qudra, que indicou que uma mesquita e uma casa tinham sido atingidas. Entre os cerca de cinquenta feridos está o chefe de polícia Tayseer al-Batsh.

Um outro ataque aéreo israelense contra a casa do chefe da polícia de Gaza matou 15 palestinos neste sábado, disse o Ministério da Saúde de Gaza.

Um porta-voz militar israelense disse que estava verificando o relatório. Uma fonte do grupo Hamas dominante de Gaza, disse o chefe de polícia, Tayseer Al-Batsh, estava em estado crítico e a maioria dos mortos eram da mesma família.

Em um outro ataque também à noite, três pessoas morreram em Rafah (sul) e outra, em Jabaliya.

Durante a manhã, duas mulheres morreram quando um míssil atingiu um abrigo em Beit Lahiya (norte).

Já no bairro de Cheikh Radouane, no oeste de Gaza, seis palestinos morreram.

Os seis, com idades entre 21 e 58 anos, estavam sentados diante de uma casa quando ela foi atingida por um míssil israelense.

Entre as vítimas dos ataques estão dois sobrinhos do líder do Hamas no enclave, Ismail Haniyeh, de acordo com moradores que os identificaram como Nidal e Alaa Malach.

Na Cidade de Gaza, em El-Bouerij (centro) e em Jabaliya (norte), oito pessoas morreram em uma série de ataques israelenses ocorridos durante a tarde.

Outros três palestinos morreram em um ataque a oeste de Gaza, assim como três no bairro de Tuffah.

Ashraf al-Qudra também anunciou a morte de outras oito pessoas, incluindo cinco mortos durante um ataque a Jabaliya e dois mais ao sul, em Deri el Balah. Um homem, ferido por um outro bombardeio, não resistiu aos ferimentos.

Ainda segundo a mesma fonte, pelo menos mil habitantes da Faixa de Gaza ficaram feridos nos bombardeios israelenses iniciados há cinco dias.

O conflito é o mais violento desde a operação “Pilar de Defesa” , em novembro de 2012. O objetivo desta ofensiva é o mesmo de dois anos atrás, acabar com os disparos de foguetes de Gaza. As hostilidades na época deixaram 177 palestinos e seis israelenses mortos em sete dias.

Do lado israelense, as autoridades indicaram cerca de dez feridos desde terça-feira.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump