México freia primeira tentativa de caravana migrante de pedir asilo nos Estados Unidos

Apoiados pela polícia federal e local, as autoridades mexicanas bloquearam o acesso à guarita de El Chaparral de cerca de 200 dos mais de 4.000 migrantes chegados nos últimos dias à fronteiriça cidade mexicana de Tijuana.

Autoridades mexicanas impediram nesta quinta-feira uma primeira tentativa de membros da caravana migrante centro-americana para solicitar asilo nos Estados Unidos, que reforçaram a segurança fronteiriça diante da possibilidade de uma chegada em massa.

Apoiados pela polícia federal e local, as autoridades mexicanas bloquearam o acesso à guarita de El Chaparral de cerca de 200 dos mais de 4.000 migrantes chegados nos últimos dias à fronteiriça cidade mexicana de Tijuana.

A marcha de migrantes até El Chaparral saiu do albergue que ocupam em Tijuana ao mesmo tempo em que as autoridades dos Estados Unidos fecharam por quase uma hora a guarita fronteiriça de San Ysidro durante uma simulação de segurança.

Durante quase uma hora, agentes do Escritório de Alfândegas e Proteção Fronteiriça (CBP, na sigla em inglês) acionaram medidas de segurança como teste diante da possibilidade de uma potencial chegada em massa de migrantes a este ponto de entrada ao seu território.

O CBP não falou sobre os motivos desta atípica simulação e se limitou a dizer em comunicado que “trabalhamos continuamente na avaliação de capacidades das nossas instalações e estivemos, e continuaremos, fazendo as preparações necessárias”.

Por sua vez, uma equipe do Grupo Beta, que atende migrantes que cruzam pelo México em direção aos Estados Unidos, se reuniu com membros da caravana para tentar convencê-los a desconvocar a marcha, além de expor a possibilidade de obter trabalho no México.

Um representante do Grupo Beta lhes disse que em Tijuana existe uma ampla oferta laboral e que ter trabalho pode lhes ajudar enquanto fazem o trâmite de pedido de asilo nos Estados Unidos.
Também hoje, o secretário-geral do governo do estado mexicano de Baja California, Francisco Rueda, qualificou como um erro a intenção dos migrantes, qualificando-a como “uma incursão ilegal que pode ser prejudicial para eles”.

Além disso, a Secretaria do Trabalho e Previdência Social do México confirmou que a Associação de Industriais da Mesa de Otay, em Tijuana, tem 3.500 vagas de trabalho disponíveis para migrantes que regularizem sua situação migratória.

EFE – Materia publicada em 22 de novembro de 2018, pela agencia de noticias EFE.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump