Jovem americano de 16 anos faz ataque com faca e deixa 20 feridos em escola na Pensilvânia

high_school_stabbings_fran2O incidente ocorreu antes do início das aulas. O estudante tinha duas facas em mãos enquanto se movia pelas salas de aula e um corredor do primeiro andar, disse Thomas Seefeld

Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas por “múltiplas facadas” em um ataque nesta quarta-feira (9) à escola americana Franklin Regional High School, em Murrysville, na Pensilvânia. Dezenove estudantes e um vigia da escola ficaram feridos, segundo as equipes de emergência. Um adolescente de 16 anos suspeito de cometer o crime foi detido, de acordo com a polícia local.

Entre os estudantes feridos estão adolescentes com idades entre 14 a 17 anos, Oito feridos (sete alunos e o adulto) estão em estado grave, porém estável. Quatro foram socorridos de helicóptero.

A polícia foi acionada às 7h13 locais (8h13 de Brasília), cerca de 15 minutos após as portas da escola terem sido abertas, segundo a emissora NBC.

Segundo o diretor da polícia local, Thomas Seefeld, o estudante de 16 anos que foi detido estava com duas facas. A identidade do suspeito ainda não foi divulgada. O rapaz – que sofreu ferimentos nas mãos e recebeu tratamento – foi encaminhado ao Departamento de Polícia de Murrysville.

Policiais envolvidos na investigação já estiveram na escola e seguiram para investigar o estudante.

De acordo com a polícia, o suspeito foi controlado por um dos diretores da escola e por um integrante da equipe de segurança, que conseguiu algemá-lo. Ainda não se sabe se as vítimas foram escolhidas pelo autor do crime ou atingidas a esmo. O Hospital Forbes informou ter recebido as oito vítimas com ferimentos graves – sete delas, adolescentes. Três pacientes foram encaminhados para cirurgia e os outros cinco passaram por avaliação. Segundo a emissora WPXI, as vítimas sofreram cortes no tronco (principalmente no peito e abdômen), mãos e braços.

O porta-voz do serviço de emergência do condado de Westmoreland, Dan Stevens, informou que nem todos os feridos foram esfaqueados – alguns sofreram arranhões e cortes ao tentar fugir.

Ainda de acordo com ele, um dos estudantes foi responsável por acionar o alarme de incêndio da escola, o que alertou todos e fez com que muitos deixassem o prédio em meio ao ocorrido.

“O acionamento do alarme provavelmente auxiliou na retirada das pessoas da escola”, disse o chefe da polícia local.

O adulto ferido era um vigia que havia trabalhado no turno da noite na escola.

Estudantes disseram que o adolescente suspeito de ter cometido os ataques não era agressivo e não demonstrava ter nenhum problema. Eles também afirmaram que o jovem não era publicamente vítima de bullying.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump