‘Império’ e ‘Doce de Mãe’ vencem o 43ª Emmy Internacional

 

Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado, Fernanda Montenegro e Nora Goulart

Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado, Fernanda Montenegro e Nora Goulart

Crédito: Globo/ Luiz C. Ribeiro

Na noite de ontem, 23 de novembro, a Globo foi duplamente premiada durante a 43ª edição do Emmy Internacional, na cerimônia de gala realizada no hotel Hilton, em Nova York.  ‘Doce de Mãe’ conquistou a estatueta de Melhor Comédia e ‘Império’ venceu na categoria Melhor Novela.

Nos telões, imagens de ‘Império’ anunciaram a vitória e encantaram os presentes, enquanto o diretor Rogério Gomes subiu ao palco, juntamente com atores e atrizes do elenco, para receber o tributo de Melhor Novela. Visivelmente emocionado, Rogério comemorou: “Acredito muito no gênero, em novela, e tenho muito orgulho do que faço. Dedico este prêmio ao mestre que se foi no início deste ano, o mestre da teledramaturgia brasileira, um dos maiores diretores que o Brasil teve, e até o mundo, Roberto Talma.”

Do Brasil, o autor Aguinaldo Silva agradeceu a toda a equipe da novela: “‘Império’ foi uma novela abençoada, em que tudo funcionou. Divido este prêmio com meu parceiro, o diretor Rogério Gomes, e também com todos os que, de uma forma ou outra, participaram da novela e deram a ela tudo de si. ‘Império’ provou que uma novela sempre funciona quando é feita com espírito de equipe.”

Alexandre Nero, que não pode viajar a Nova York por conta das gravações de ‘A Regra do Jogo’, soube imediatamente do prêmio e vibrou com o reconhecimento da história do Comendador, protagonizada por ele. “Eu estou muito feliz e satisfeito, foi uma grata surpresa! Toda a equipe se esforçou muito para fazer esta novela. Por isso, acredito que seja uma vitória coletiva. Todos os diretores, produtores, figurinistas, cenógrafos, equipe de caracterização, câmeras, enfim, todo mundo que fez parte desta jornada, que incluiu muitos dias intensos de gravações, é merecedor desta conquista. E, claro, não posso deixar de falar do Aguinaldo Silva, que presenteou a nós e ao público com esta história que conquistou todo o Brasil!”, comemorou o ator.

‘Império’ fala sobre um amor impossível e um destino guiado pelos acasos da vida que são entrelaçados à história de um homem obcecado pelo poder. A trama narra a trajetória de José Alfredo (Chay Suede/Alexandre Nero), um empresário que começou do zero e tornou-se dono de uma grande empresa internacional de joias. Ele vive entre um casamento turbulento, um romance extraconjugal e a disputa dos filhos, que sabem que um dia um deles será o escolhido para ocupar o trono desse império. A novela, escrita por Aguinaldo Silva, teve direção de núcleo de Rogério Gomes e direção geral de Andre Felipe Binder e Pedro Vasconcelos. ‘Império’ foi exibida no Brasil entre julho de 2014 e março de 2015 e segue conquistando audiências ao redor do mundo.

O segundo prêmio da Globo foi para ‘Doce de Mãe’, que venceu na categoria Melhor Comédia pela série exibida em 2014. Muito felizes, o autor e diretor Jorge Furtado, a diretora Ana Luiza Azevedo, a produtora Nora Goulart e a atriz Fernanda Montenegro receberam a estatueta no palco.

Para Jorge, ‘Doce de Mãe’ foi um trabalho especial: “O projeto surgiu na Casa de Cinema, foi criado e dirigido por mim e pela Ana Luiza Azevedo, e produzido por Nora Goulart, especialmente para a Fernanda. É uma prova de que podemos contar qualquer história. A toda a equipe, a todas as doces mães do Brasil, muito obrigado”. “É realmente bárbaro estarmos aqui e nesse universo que é tão importante para a TV mundial”, completou Ana Luiza Azevedo.

‘Doce de Mãe’ é uma comédia humanista que valoriza as relações familiares e retrata, de forma lírica, a velhice nos dias de hoje. Apresentada em formato de telefilme, em 2012, a história de Dona Picucha deu origem à série homônima em 2014. Não há quem não se encante com a divertida senhora de 85 anos, que optou por encarar a vida com leveza e provar que não há idade para ser feliz. A coprodução da emissora com a Casa de Cinema de Porto Alegre tem criação de Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo, redação final de Jorge Furtado e Mauro Wilson, direção de núcleo de Guel Arraes, direção geral de Jorge Furtado e direção de Ana Luiza Azevedo e Olivia Guimarães.

Fernanda Montenegro, que em 2013 conquistou o prêmio de Melhor Atriz pela interpretação de Dona Picucha e que foi novamente indicada neste ano pelo mesmo papel na série, também celebrou a conquista. “Sem a Globo, não seria possível estar aqui hoje, representando o Brasil. Cada trabalho nosso é o resultado de um conjunto que se somou. E o trabalho de equipe é o que nos trouxe até aqui”, agradeceu.

O Emmy Internacional é considerado o maior evento do mercado televisivo no mundo e tem por missão reconhecer a excelência de conteúdo produzido exclusivamente para TV fora dos Estados Unidos, além de produções de língua não inglesa feitas para a TV americana. Neste ano, 40 finalistas de 19 países concorreram ao prêmio em 10 categorias.
Na categoria Melhor Novela, ‘Império’ disputou a estatueta com as produções ‘Ciega a Citas’, da Espanha; ‘Jikulumessu’, de Angola; e ‘Mulheres’, de Portugal.
’Doce de Mãe’ disputou a categoria Melhor Comédia com as produções ‘Fais Pas Ci, Fais Pas Ca’, da França; ‘Família en Venta’, da Colômbia; ‘Puppet Nation ZA’, da África do Sul; e ‘Sensitive Skin’, do Canadá.

A Globo é a única TV brasileira que já venceu o Emmy Internacional e, com as novas premiações, coleciona 14 estatuetas do que é considerado o Oscar da TV mundial. Desde que a categoria Melhor Novela foi criada pela Academia, em 2008, a premiação de ‘Império’ é a sexta que a emissora conquista na divisão. No ano passado, Roberto Irineu Marinho, presidente do Grupo Globo, foi homenageado com o prêmio de Personalidade Mundial da Televisão, por sua liderança da marca Globo, nacional e internacionalmente. No mesmo ano, a vencedora na categoria Melhor Novela foi ‘Joia Rara’, de Telma Guedes e Duca Rachid.

O primeiro Emmy da Globo foi em 1981, com ‘A Arca de Noé’, musical infanto-juvenil baseado na obra do poeta Vinícius de Moraes. No ano seguinte, foi a vez do especial ‘Morte e Vida Severina’. Em 1983, Roberto Marinho, fundador da Globo, foi homenageado na categoria Direção. A primeira novela a vencer o Emmy foi ‘Caminho das Índias’, de Gloria Perez, em 2009. Em 2011, a emissora conquistou novamente o prêmio na categoria Melhor Novela com ‘Laços de Sangue’, uma coprodução com a SIC. No mesmo ano, foi premiada pela cobertura do ‘Jornal Nacional’ sobre a invasão do Complexo do Alemão no Emmy Internacional de Jornalismo. Em 2012, a Globo foi reconhecida duplamente com as produções ‘O Astro’, na categoria Melhor Novela, e ‘A Mulher Invisível’, na categoria Melhor Comédia. Em 2013 foi a vez de ‘Lado a Lado’ com o prêmio de Melhor Novela e Fernanda Montenegro tornou-se a primeira brasileira ao receber a estatueta de  Melhor Atriz,  por Dona Picucha, seu papel no especial da Globo ‘Doce de Mãe’, exibido pela emissora em 2012

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump