Homem atira em ex-colega de trabalho que o convidou para entrar na Telexfree

POLICIAUm funcionário de uma fábrica de chocolates, de 38 anos, foi baleado na cabeça quando chegava à empresa para trabalhar, por volta das 22h de quarta-feira (13), no bairro Glória, em Vila Velha. Ele foi ferido por um colega de trabalho, que foi preso na tarde desta quinta-feira (14) e confessou o crime, segundo a polícia.
De acordo com investigadores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que atenderam a ocorrência, um investimento no falido esquema de pirâmides da Telexfree seria a motivação do crime.
A vítima chegava à fábrica para assumir o turno que começaria às 22h de quarta-feira e acabaria pela manhã de ontem. Ele caminhava na calçada da Avenida Jerônimo Monteiro quando foi surpreendido.
Um Golf prata surgiu no sentido Avenida Carlos Lindenberg e parou ao lado da calçada. De dentro do veículo, segundo a polícia, saíram o colega de trabalho do funcionário, Valdeir José de Oliveira, 33 anos, e Diego Moreira Bueno, 25.
Dois tiros foram disparados contra a vítima pelas costas. Um dos disparos acertou a parte de trás da cabeça do funcionário, atravessou o crânio e saiu pelo rosto da vítima. A outra bala pegou no braço dele.
Após os disparos, os acusados entraram no veículo e fugiram. A polícia foi acionada por testemunhas, e uma ambulância do Samu socorreu a vítima para um hospital particular de Vitória.
Segundo a polícia, o crime foi cometido porque Valdeir teria sido convencido pela vítima a investir aproximadamente R$ 3 mil na empresa Telexfree, acusada de fraude financeira e que está com os bens bloqueados pela Justiça.
Como não obteve retorno da quantia, o suspeito estava cobrando a vítima, que teria se negado a devolver o dinheiro.
Por nota, o delegado Ricardo Almeida, responsável pelo caso, informou que os acusados foram presos na tarde de ontem. A arma do crime, um revólver 38, estava com um menor, 16. Os dois foram apreendidos.
Telexfree
Em nota, a Telexfree comunicou que não provocou nem contribuiu, comissiva ou omissivamente, para a realização do fato noticiado, tratando-se de ajuste entre duas pessoas distintas. Disse ainda que TelexFREE não opera um esquema falido de pirâmide e que o processo judicial que apura a licitude de seu modelo de negócios está em fase de elaboração da perícia, inexistindo sentença com trânsito em julgado que a condene
Se há divulgadores insatisfeitos por não estarem recebendo seus créditos, destaca a nota, não foi por decisão da TelexFREE. Por fim não se apurou conclusivamente ainda a autoria deste crime de tentativa de homicídio quanto menos sua motivação.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump