“há dois lados para esta história” diz Bruna a mulher que provocou o Amber Alert

bruna-602-3Agnaldo Garcia estava cuidando dos filhos  de Bruno Coelho, em Abington quinta-feira(6), quando uma mulher bateu na porta, identificando-se como uma polícia local, disseram as autoridades.

A mãe das crianças, Bruna Gomes,  entrou no apartamento após aplicar spray de pimenta em Garcia e levou o filho de  7 anos de idade e a filha de 8 anos de idade, enquanto Garcia gritava para ela parar, disseram as autoridades.

Bruna Gomes, de 33 anos, se declarou inocente das múltiplas acusações no Tribunal Distrital de Brockton na sexta-feira(7). Ela enfrenta seis acusações, incluindo duas acusações de sequestro, descuido de criança, invasão de domicílio, agressão com arma perigosa e representação de um policial. A fiança foi fixada em $ 25.000 dólares.

O advogado de Bruna, A.Cohen, descreveu Bruna como uma mãe que sentiu que tinha esgotado todas as maneiras de ver seus filhos e levou ao extremo sem medir as consequências. “Um Ato de desespero”.

Bruna tem a guarda dos filhos,  conforme alega sua advogada,  ela tinha tentado e não conseguiu obter acesso aos seus filhos por meio da polícia e dos tribunais, disse Cohen. Quando ela foi para os tribunais, ela foi informada de que seria necessário um longo tempo para resolver o caso.

“Ela tentou usar de todos os mecanismos dentro da lei para obter legalmente essas crianças”, disse Cohen.

A advogada também contestou algumas das alegações dos promotores, incluindo a alegação de que Bruna  se fez passar por uma policial. Cohen disse que sua cliente foi atacada e ela tem ferimentos e marcas no corpo.

“Todo mundo assume que ela fez algo errado, mas garanto a todos, há dois lados para esta história”, disse Cohen.

Bruno Coelho, o pai das crianças, disse que não concorda com a defesa de  Bruna Gomes.

“Se ela tinha todos os direitos legais, ela deveria ter apenas alegado que era ela mesma, não um agente da polícia”, disse ele em uma entrevista por telefone após o julgamento.

A advogada sugeriu que Bruna estava levando as crianças em um período de férias para a região do Cape Cod.

As duas crianças estão bem e foram reunidas com seu pai, que participou da acusação.

Os Advogados ainda não estão certos com relação a guarda dos filhos. Os tribunais não têm jurisdição porque as crianças estavam vivendo fora dos Estados Unidos por três anos, disse a assistente da promotoria Jason Thomas. As crianças se mudaram para o Brasil para viver com a família por causa de conflitos entre Bruna Gomes e Bruno Coelho, alega Bruna no relatório policial.

Cohen argumenta que desde que o casal se separou, a custódia legal reside com a mãe. Além disso, ela disse que Bruno na presença de um juízo 2010 deu a custódia total para Bruna.

O juiz, Ronald Moynahan, questionou se a acusações de sequestro é válida se, de fato, Bruna tem a guarda dos filhos.

“Quem diz que isso é um sequestro?” Perguntou Thomas Moynahan na acusação. “Por que ela não tem direito a essas crianças como qualquer outra pessoa faria como mãe?”

Moynahan explicou a diferença  entre as acusações de sequestro e outras acusações, incluindo a acusação de colocar a vidas das crianças em risco durante a invasão na residência.

“Bruno Coelho afirmou que ele respeitosamente atende aos conselhos de seu advogado, não queria que isto acontecesse, mas ficou com medo de nunca mais ver seus filhos novamente”, disse o relatório.

No tribunal sexta-feira(7), Bruna  permaneceu calada com a cabeça baixa olhando para o chão durante a maior parte do processo. Muitos de sua família e amigos estavam presentes para dar apoio.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump