Confiança do consumidor americano sobe para maior nível em 8 anos

save+a+lotA confiança do consumidor subiu em dezembro para o maior patamar em quase 8 anos por melhora nas perspectivas para empregos e salários e preços mais baixos da gasolina, mostrou a pesquisa Thomson Reuters/Universidade de Michigan nesta sexta-feira (12).
A leitura preliminar do índice de confiança do consumidor para dezembro ficou em 93,8, a maior desde janeiro de 2007 e acima da mediana das projeções de 89,5 entre os 70 economistas consultados pela Reuters. A leitura final de novembro foi de 88,8.
O termômetro para as expectativas dos consumidores subiu para 86,1 de 79,9, também o mais alto desde janeiro de 2007 e superando a estimativa de 80,5.
O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos divulgou nesta terça-feira (9) que a taxa de crescimento do número de vagas de trabalho abertas no mercado americano foi de 3,3% em outubro, de acordo com dados do relatório JOLTS (sigla em inglês para pesquisa de abertura de vagas e rotatividade no emprego), que considera não apenas a abertura de vagas mas também a transferência de empregados, sejam motivadas por demissões a pedido ou não.
O número de vagas abertas saltou para 4,83 milhões em outubro, comparadas a 4,69 milhões em setembro, aproximando-se do maior nível observado desde o início de 2001. Comparado ao mesmo mês do ano passado, o aumento foi de 21%, com crescimento de 23%, a 4,42 milhões, no setor privado.
Para cada vaga aberta, havia 1,9 candidato em outubro, abaixo da proporção de 2 observada em setembro. Em outubro de 2013, havia 11,14 milhões de desempregados no país, o que correspondia a uma proporção de 2,8 candidatos em potencial para cada vaga aberta.
O dado apontou estabilidade de ritmo para o setor privado e queda nos governos estaduais e locais. O levantamento também apontou estabilidade nas quatro regiões geográficas.
O número de demissões a pedido cresceu no período de 12 meses até outubro, refletindo a melhora das condições do mercado de trabalho dos Estados Unidos. O relatório JOLTS é acompanhado de perto pela presidente do Fed, Janet Yellen, por ser considerado uma medida mais ampla da evolução das condições do mercado de trabalho no país.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump