“Comunidade brasileira não é alvo imediato”, diz advogada

micol-622

A ADVOGADA MICOL MION: “A MAIORIA DAS PESSOAS ACABAM EM PROCESSO DE REMOÇÃO PORQUE ELES FORAM PARADOS POR INFRAÇÕES DE TRÂNSITO OU DIRIGIR SEM LICENÇA”

Micol Mion, do escritório Immigration Solutions, explica as recentes ordens de deportação e dá orientações importantes

Fabiano Ferreira

Toda vez que se divulga que a Imigração Americana tem ordens de deportação a cumprir um clima de pânico se espalha entre os imigrantes. Como há muitos mitos e informações desencontradas, muitas pessoas acabam espalhando boatos que nada tem a ver com a realidade, complicando ainda mais a compreensão sobre direitos e deveres, mesmo entre os indocumentados.
Para comentar este assunto, o Jornal A Semana entrevistou a advogada Micol Mion, do escritório Immigration Solutions, de Boston. Acompanha abaixo, na íntegra, as respostas às principais dúvidas referentes ao asssunto:

Qual sua opinião sobree estas ordens recentes de deportação de Imigrantes?
Micol Mion – Os alvos das ordens atuais são para imigrantes centro-americanos que vieram para os EUA para escapar da violência e da corrupção e têm pedidos pendentes de remoção. As ordens são o primeiro esforço em grande escala para deportar as famílias que fugiram da violência e da pobreza na América Central em 2014 e 2015.
A Casa Branca declarou que a estratégia de execução e prioridades que a administração tem articulado não vão mudar. Isso significa que os indivíduos que recentemente atravessaram a fronteira são prioridades para a remoção. A comunidade brasileira não é um alvo imediato. No entanto, as pessoas que foram deportadas e as pessoas que não conseguiram comparecer a uma audiência no tribunal e foram deportados à revelia, ainda são uma prioridade para a deportação.
O mais importante que as pessoas precisam fazer é informar a US Citizenship and Immigration Services and Immigration Tribunal quando se deslocam para um novo endereço. O Formulário AR-11 precisa ser submetido a US Citizenship and Immigration Services enquanto o EOIR-33 precisa ser apresentado ao Immigration Court. A não notificação de imigração pode resultar em uma ordem de remoçãol. Isso é porque a imigração vai enviar avisos para o último endereço conhecido. Assim, uma notificação para comparecer em frente ao Juiz de Imigração pode ser enviada para um endereço velho e a pessoa não será notificada e como resultado não aparece para sua audição no Tribunal de Imigração.
O que as pessoas que têm ordem de deportação devem fazer para se proteger?
Micol Mion – As pessoas que têm ordens finais de deportação devem consultar um advogado de imigração experiente para ver se há uma base para reabrir o seu processo e, se caso houver possibildiade, se candidatar a qualquer forma de alívio. Às vezes, os casos podem ser reabertos devido às condições do país, como por exemplo se o país de origem passou por um terremoto, guerra ou instabilidade política, além de negligência do advogado ou erros de direito.

Existe alguma maneira de evitar uma deportação ou é irreversível?
Micol Mion – Evitar ou não a deportação de uma pessoa depende dos fatos de seu caso. Cada caso é único. Em algumas circunstâncias, uma pessoa que tem uma ordem final de remoção pode aplicar para uma estadia de Deportação com Immigration Customs Enforcement (ICE).

Como advogada, que orientações gerais você pode dar às pessoas sobre este assunto?
Micol Mion – A maioria das pessoas acabam em processo de remoção porque eles foram parados por infrações de trânsito ou dirigir sem licença. Assim, recomendo tomar o transporte público para as pessoas que não possuem licença de US Drivers.
Além disso, sugiro às pessoas contratarem um advogado experiente em imigração que pode advogar em suas melhores habilidades. Às vezes, os estrangeiros preferem contratar o advogado mais barato, mas infelizmente esta não é a melhor opção, pois as taxas cobradas normalmente coincidem com a experiência de um advogado. Todos os dias recebo clientes brasileiros que tiveram muitos advogados de imigração trabalhando em seu caso e cobrando milhares de dólares para pouco ou nenhum retorno. Contratar um bom advogado desde o início dará resultados mais rápidos e um impacto econômico menor.

Entrevista exclusiva: Jornal A SEMANA – Em Janeiro de 2016

 

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump