Cheques sem fundos e inadimplência aumentam na comunidade brasileira

cheque NSF 633Donos de revendedoras de carros afirmam que inadimplência tem crescido e volume de carros devolvidos ou tomados por bancos atinge níveis recordes.

Fabiano Ferreira

A facilidade de comprar um carro em Massachusetts faz com que muitos brasileiros não planejem bem a aquisição e pagamento do veículo. Com isso, a inadimplência tem aumentado entre as revendedoras de carros, segundo apurou a reportagem do Jornal A Semana. Os dealers afirmam que o número de carros devolvidos ou reprocessados têm atingido níveis recordes.
Há casos de todos os tipos: quem para de pagar o financiamento seis meses após comprar o carro ou emite cheques sem fundos, o que no estado de Massachusetts é considerado crime.
Segundo Peterson Frederico, dono da Master Used Cars (Somerville), geralmente as pessoas param de pagar alegando que perderam o emprego ou que estão insatisfeitas com o carro, mas isso só prejudica seu histórico financeiro. “Independentemente do que aconteça, o cliente deve continuar honrando seus compromissos porque mesmo se ele for indocumentado e um dia vier a ter dos documentos isso vai aparecer no seu recorde”, disse.
De acordo com ele, os donos de revendedoras que recebem cheques sem fundo podem e devem levar os casos para a Corte, pois a partir do momento que foi feita a negociação, o proprietário do carro deve se responsabilizar pelo pagamento.

Diferenças do Brasil – Na opinião de Rodrigo Borba, sócio da AGM Auto Sales (Malden e Everett) é muito importante que quem vai comprar um carro deve ter em mente que os negócios aqui são diferentes do Brasil. Ele diz isso principalmente em relação aos imigrantes que tem chegado mais recentemente e desconhecem detalhes das regras.
Segundo Rodrigo, muitas vezes os donos de revendedoras fazem um “papel educativo”, explicando várias vezes para o cliente como funciona um financiamento e que mesmo sendo com juros bem mais baixos que no Brasil, há sim juros no empréstimo feito pelos bancos. “Tem muita gente que compra um carro e não lê direito os papéis e o contrato e lá na frente podem surgir dúvidas ou algum problema”, disse.
Rodrigo diz que não se pode confundir facilidade com ausência de juros ou impunidade em caso de não honrar os pagamentos com os bancos.
Outros revendedores ouvidos pela reportagem afirmam que muitos brasileiros nunca tiveram a oportunidade de comprar um carro no Brasil e ao chegar aqui se empolgam com a chance de ter um veículo mesmo antes de ter se estabilizado no trabalho.

dealer-633
O que diz a lei sobre carros devolvidos – Você sabe o que pode acontecer com seu recorde quando você devolve um carro? Segundo Loham Moreira Official de Justiça e contadores da ETS EZ TAX Service, quando um carro é devolvido para o banco ou tomado (repossessed) pelo banco, o fato é automaticamente reportado no Social Security Number ou TAX ID e essa informação nunca sai do seu histórico. “As chances de conseguir financiar outro carro em 2 ou 3 anos são mínimas”, diz Julya Melo, diretora Financeira da Leadership Motors (Chelsea).
No caso de financiamento com passaporte, as informações da pessoa também são arquivadas e quando a pessoa quiser fazer outro financiamento e fornecer nome e data de nascimento terá o pedido negado. “A dica é nunca tentar comprar um segundo carro para devolver seu carro atual. Além de ser antiético, em 3 ou 4 anos quando você quiser trocar esse segundo carro não conseguirá”.

Penalidades do cheque sem fundo – E sobre as penalidades de emitir um cheque sem fundos, quais as consequências legais e jurídicas? É importante ressaltar que emitir um cheque sem fundo é ilegal. Veja o que diz a “Constitution of The Commonwealth of Massachusetts” (Part IV, Title I, Chapter 266, Section 37): “Quem, com intenção de fraudar, faz, empates, profere ou fornece qualquer cheque, saque ou ordem para o pagamento de dinheiro em qualquer banco ou outro depositário, com o conhecimento que o fabricante ou “drawer” tem fundos ou de crédito não suficientes em tal banco ou outra depositário para o pagamento de tal instrumento, embora nenhuma representação expressa é feita em referência à mesma, será culpado de tentativa de furto, e se dinheiro ou bens ou serviços são obtidas desse modo, será culpado do roubo.”
Para estes casos existem penalidades criminais e civis. A pena civil é o valor do cheque mais valor da ação judicial, além de taxas de protesto. Já a pena criminal é multa ou um ano de cadeia para valores de ate $300.00 ou multa e até 2 anos de prisão ou até 5 anos na penitenciária para valores a partir de $600.00 (National Check fraud Center).

 

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump