Carteira de mototista – Mais próximos ou longe desta conquista?

Mapa Oficial 627.indd

Por Fabiano Ferreira

Comunidade brasileira se organiza para participar de audiência pública na State House: ativistas afirmam que ano eleitoral reduz chances de aprovação

Junto com o Green Card, a Carteira de Motorista é um dos documentos mais desejados pelos imigrantes que vivem em Massachusetts. Isso porque o documento significaria mais segurança para transitar pelas cidades e rodovias e reduziria o número de processos levados às Cortes em função das abordagens policiais.
Esta semana, mais uma vez, a possibilidade de conceder esse direito estará em debate, na State House, em audiência pública. A discussão em torno do projeto do deputado John Fernandes será na terça-feira, dia 8 de março, às 10h, no Auditório Gardner. A última sessão que tratou deste assunto, também promovida pelo Comitê dos Transportes, aconteceu em março de 2014, quando cerca de 500 pessoas participaram.
Como das outras vezes, a comunidade está se organizando para se manifestar a favor da emissão deste documento, que seria uma grande conquista para todos que trabalham e usam veículos para se locomover todos entre milhares de pontos. No entanto, os próprios representantes das entidades acreditam que a aprovação seja difícil, pois além de ser um ano eleitoral, em que os políticos não querem se comprometer em assuntos controversos, há também a posição contrária do governador Charlie Baker, que é do partido republicano.

Apoio à causa imigrante – Para o advogado William Joyce, ex-juiz de Imigração que tem entre seus clientes diversos brasileiros, é importante que a comunidade participe da audiência na State House para mostrar sua força diante de uma questão essencial que trata do direito de ir e vir. Na última semana, o escritório Joyce Associates divulgou a audiência para seus clientes e reforçou o apoio a esta causa.

Para Lídia Souza, presidente do New England Community Center, de Stoughton, a campanha em favor da carteira deve ser constante. “Acredito que realmente devemos nos movimentar em prol deste projeto. Mas não podemos apenas organizar este movimento no momento da votação e sim todos os dias através de telefonemas, e-mails e cartas. Nossa realidade é bem nua e crua e nosso estado é ultra-conservador. Os grupos anti-imigrantes são totalmente organizados e fortes e usam de todos os meios para convencer os políticos”, disse em entrevista ao Jornal A Semana.
Quem também apoia a participação popular na audiência é Marcony Almeida, diretor de Relações Externas da Procuradoria Geral do Estado de Massachusetts. No entanto, ele também vê dificuldades na aprovação do projeto. “Em ano eleitoral os políticos não têm interesse em questões controversas. Mas minha opinião é de que a esperança deve prevalecer sempre. As pessoas não podem desistir de lutar por seus direitos e por isso devem mesmo se manifestar a favor e acompanhar tudo de perto”, diz.

12 Estados dão carteira a imigrantes – Diferentemente do Brasil, em que as leis para o trânsito são federais, nos Estados Unidos, cada estado é soberano para definir critérios para expedição de carteiras de motorista. Atualmente, 12 estados já aprovaram legislações que garantem o acesso a carteira de motorista para o imigrante indocumentado: Califórnia, Colorado, Connecticutt, Delaware, Hawai, Illinois, Maryland, New México, Nevada, Utah, Vermont, Washington e o distrito de Colúmbia.
Na opinião da ativista Margareth Shepard, que acaba de ser eleita como membro do Comitê de Framingham do Partido Democrata, em Massachusetts, além de não ter ocorrido avanço nesta questão, está havendo um retrocesso com a apresentação de dois projetos de lei que visam barrar o registro de veículo por parte do imigrante indocumentado, exigindo a apresentação de documentos de identificação, da mesma forma como foi feito com relação às carteiras de motorista. “Esta situação nada mais é do que o resultado da manipulação de informações, que leva a parte menos informada da população, e de menor poder aquisitivo, se colocar contra os imigrantes e a votar em candidatos que também são anti-imigrante”, ressalta.
Na opinião dela, a eleição do governador Charles Baker, que declarou em sua campanha que vetaria qualquer lei que garantisse acesso à carteira de motorista por indocumentados, e o crescimento da popularidade do candidato Donald Trump, através de um discurso raivoso e anti-imigrante, são um exemplo dos resultados eleitorais que estão sendo alcançados. “É importante que estejamos na audiência do dia 8 de março e que consigamos chamar atenção divulgando dados reais com relação à segurança nas estradas e rodovias , assim como fizemos em 2014”.
Margareth lembra que na ocasião, uma pesquisa feita pela FOX mostrou que 84% da população estava a favor da causa. “Isso só foi possível devido a participação de todos os segmentos da comunidade. Pela primeira vez as diferenças foram colocadas de lado e as ONGs, igrejas, empresários e artistas se uniram e tivemos mais de 500 brasileiros na State House”, afirma.

 

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump