Capixaba Margarette Mattos apresenta a arte de seus trabalhos

margaretO jornal A SEMANA apoia a indicacao da Capixaba Margarette Mattos na categoria Artes visuais para Presswards 2015 e pede o seu voto. Para votar basta entrar no endereço abaixo e clicar no nome de Margarette.
A fascinação pelas cores e texturas do minério de ferro, extraído das regiões brasileiras de Itabira em Minas Gerais e Serra dos Carajás no Pará são a inspiração para o meu trabalho. Ao combinar o minério de ferro com pigmentos e tinta acrílica eu crio imagens abstratas sobre a tela. Foi de uma forma bem casual que comecei a utilizar o minério de ferro. Tudo começou há alguns anos, quando eu estava fazendo uma pesquisa visual e arquitetônica sobre minha cidade natal Vitória, Espírito Santo. Durante o meu processo de pesquisa observei o vai e vem dos navios carregados de minério de ferro no complexo portuário de Vitória, Espírito Santo. Foi quando despertou em mim a curiosidade em saber mais sobre este rico mineral. A partir desse momento comecei a pesquisar mais sobre este minério e descobri a variedade de formas, cores, texturas e brilhos que ele possui. E eu sabia que cores e texturas são tudo que um artista precisa para criar. Então, a partir desse momento eu decidi incorporar o uso do minério de ferro em meus trabalhos.
Foram duas décadas de pesquisa até descobrir e aperfeiçoar a melhor maneira de como utilizar o minério em minhas telas, sem que este perdesse o seu brilho, textura e sua cor original. Em minhas pinturas eu também utilizo pigmentos de óxido de ferro com uma combinação de vernizes, ceras, terras, ouro, cobre, resinas acrílicas e vinílicas. A sobreposição e oposição destes materiais sobre a superfície da tela criam texturas e tons brilhantes que destacam a opacidade e o aveludado deles. Criando assim formas abstratas e básicas, tais como círculos e retângulos.

Biografia
Margarette Mattos é uma pintora brasileira de arte expressionista abstrata que atualmente reside na cidade de Cambridge, Massachusetts. Suas telas refletem sua técnica inovadora de misturar minério de ferro com pigmentos, cêras, vernizes e tinta acrílica. Suas pinturas são caracterizadas pelas cores fortes com contrastes e texturas incorporados a formas geométricas e abstratas que muitas vezes se assemelham a portas e janelas.
Margarette é natural de Vitória, Espírito Santo, cidade localizada no sudeste do Brasil. Sua carreira começou no início dos anos 1990, quando ela foi convidada para participar de um projeto de arte patrocinada pela Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. O objetivo da exposição, entitulada Visões de Vitória, foi destacar a cultura e arquitetura da cidade. Ao fazer a pesquisa com o intuito de elaborar este projeto, Margarette teve seu primeiro contato com a possibilidade de utilizar o minério de ferro para se expressar como artista. Ela passou muitos anos pesquisando sobre o minério antes de encontrar a maneira correta de incorporá-lo efetivamente em seus trabalhos sem que o próprio perdesse o brilho, textura e sua cor natural. Para desenvolver suas pinturas, muitas vezes ela abre mão do uso dos pincéis e gosta mesmo é de trabalhar com as mãos. Dessa forma ela diz que pode sentir as texturas e ter mais liberade para criar e finalizar suas obras. Além do minério de ferro, ela também utiliza óxido de ferro, ouro, cobre, resinas, vernizes e ceras para obter uma composição harmoniosa com texturas únicas, cores, brilhos e opacidades que se refletem em suas obras.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump