Banco do Brasil confirma 6 casos de venda de dólar falso; PF abre inquérito

dolar falso-597Outras 13 transações estão sendo investigadas internamente pelo banco.  O Banco do Brasil informou que há seis casos confirmados de pessoas que compraram cédulas falsas de dólar na instituição, na agência central, no Recife. Outros 13 casos estão sendo investigados. O banco se pronunciou oficialmente, através de nota, nesta segunda-feira (29). A Polícia Federal (PF) em Pernambuco abriu inquérito sobre os casos, também nesta segunda, após o agropecuarista José Maria Rangel Júnior procurar a entidade com cédulas de dólar que têm o mesmo número de série das que foram compradas pela família da estudante Amanda Parris, primeira a relatar o fato, na semana passada. Já o contador Flávio Amâncio passou por apuros em Nova York, este mês, quando uma funcionária de uma loja percebeu que as cédulas com que ele tentava pagar a conta eram falsificadas. O casal Eduardo e Kátia Nóbrega, que esteve em Miami durante oito dias, também este mês, descobriu que o dinheiro comprado era falso na hora de pagar a conta de um restaurante, no primeiro dia da viagem.

“Abrimos inquérito para saber de onde vêm e quem tentou colocar essas cédulas no comércio. A partir de agora, vamos periciar o dinheiro e também, se for o caso, procurar as autoridades norte-americanas. O crime pelo qual os suspeitos serão acusados  é o uso de notas falsas, mas varia de acordo com a quantidade de participação dos envolvidos”, disse Marcello Diniz, superintendente da PF em Pernambuco.

“O Banco do Brasil esclarece que, tão logo detectadas as ocorrências, iniciou a apuração dos fatos e adotou as medidas de segurança necessárias. Além disso, já fez contato com todos os clientes que fizeram operações de câmbio nas quais poderiam ter sido utilizadas cédulas do lote envolvido, e prestou as devidas orientações. Dentre os clientes contatados, o BB já confirmou que seis, de fato, adquiriram notas falsas. Há mais 13 operações que ainda estão sob verificação”, diz nota oficial do banco.

Apesar do posicionamento oficial do Banco do Brasil, a estudante Amanda Parris afirma que continua sem apoio oficial para provar às autoridades do estado do Texas que ela não sabia que as cédulas eram falsificadas. “O advogado que está representando o Banco do Brasil até agora só me liga e fala que estão vendo, mas não tenho nada oficial deles. O tempo está passando e isso está me irritando cada vez mais”, disse ela ao G1, nesta segunda.

“Transtorno. Decepção. Vergonha. É como se você fosse pego roubando, é um ladrão, todo mundo está olhando você como ladrão. O sentimento que eu tenho é esse”, diz Eduardo, ainda bastante abalado. “Isso vai causar uma reparação material pelas cédulas que ficaram apreendidas e, além disso, uma reparação moral por todos os constrangimentos que passaram num país estrangeiro, nessa situação que envolve o FBI, eles precisando se explicar…”, detalha Érika Ferraz, advogada do casal.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump