Assassinatos e estupros aumentam drasticamente em Nova Iorque, conforme relatórios policiais

Enquanto os dois primeiros meses de 2018 registraram 459 casos, até agora este ano, 580 casos foram relatados um aumento de mais de 26%.

Tanto os assassinatos quanto os estupros relatados em todos os cinco distritos de Nova York aumentaram acentuadamente nos dois primeiros meses de 2019, apesar do Departamento de Polícia de Nova York (NYPD) ter observado que o crime em geral diminuiu.

A tendência recente foi revelada pelo relatório semanal CompStat da NYPD, que encontrou 51 assassinatos em 24 de fevereiro – um aumento de 50% em relação ao mesmo período do ano passado. Ao mesmo tempo, 267 casos de estupro foram relatados – um aumento de 23,6%.

Contravenções e crimes sexuais também aumentaram. Enquanto os dois primeiros meses de 2018 registraram 459 casos, até agora este ano, 580 casos foram relatados – um aumento de mais de 26%. O número de incidentes de tiroteio e de vítimas de tiros, enquanto isso, não registrou grandes mudanças em relação a 2018.

Um dos assassinatos mais violentos se iniciou com uma briga que se transformou em um homicídio na estação de metrô da 90th Street, no Queens, em fevereiro. Um vídeo do incidente – que ocorreu em plena luz do dia – circulou nas redes sociais. Em uma coletiva de imprensa ao vivo, foi revelado que o atirador era um membro da gangue MS-13, de 26 anos de idade, uma gangue notoriamente violenta conhecida por seus métodos brutais de assassinato.

O presidente Donald Trump fez referência ao tiroteio em seu discurso sobre o Estado da União, onde observou que membros de gangues do MS-13 operam em 20 estados diferentes e “quase todos passam pela fronteira sul”. O assassino Ramiro Gutierrez e mais dois Membros da gangue MS-13 já foram detidos e acusados. O número total de crimes nos primeiros dois meses deste ano diminuiu em 8,4%, com 12.372 crimes cometidos até agora em 2019, em comparação com 13.500 no ano passado. A queda geral do crime em Nova Iorque foi atribuída a um declínio em roubos, assaltos, arrombamentos, roubo e furto de carros.

Mas tanto o comissário de polícia de Nova York, James P. O’Neill, quanto o prefeito da cidade, Bill de Blasio, não abordaram diretamente os picos alarmantes quanto aos assassinatos e estupros, relatados em um relatório anterior da CompStat, em janeiro deste ano.

Um porta-voz da NYPD disse ao Epoch Times que eles levam a sério cada crime e que “qualquer assassinato ou estupro é demais”.
“Usando a precisão baseada em dados para atacar o crime, junto com o policiamento da vizinhança, o NYPD produziu um baixo índice de criminalidade”, disse o departamento por e-mail. “O Departamento de Polícia de Nova York usará essas táticas comprovadas para lidar com qualquer aumento temporário, de modo que todos os nova-iorquinos – independentemente do código postal – possam viver em segurança”.

O Departamento de Polícia de Nova York destacou todas as estatísticas positivas em seu relatório de janeiro, como menores crimes de trânsito e roubos, mas não apontou de forma proeminente o aumento de assassinatos e estupros, que naquele mês já haviam aumentado mais de 20% . Os aumentos só foram revelados ao olhar para os gráficos numerados e não foram destacados no relatório.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump