Advogado vai entrar com recurso para que goleiro Bruno volte a jogar

bruno566O advogado Francisco Simim, que assumiu novamente a defesa do goleiro Bruno Fernandes, disse na sexta-feira (7) que pretende entrar com um recurso contra adecisão judicial que impediu que o ex-atleta saísse da Penitenciária de Francisco Sá para treinar no Montes Claros Futebol Clube.
Bruno foi condenado em 2013 a mais de 22 anos de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho.
Simim afirmou que, legalmente, Bruno tem o direito de sair para trabalhar, e citou o artigo 36 da Lei de Execução Penal “o trabalho externo será admissível para os presos em regime fechado somente em serviço ou obras públicas realizadas por órgãos da Administração Direta ou Indireta, ou entidades privadas, desde que tomadas as cautelas contra a fuga e em favor da disciplina”.
O defensor destaca também que se o desembargador acatar o recurso, a unidade prisional tem que oferecer as condições de segurança para que Bruno possa jogar. A falta de estrutura foi um dos motivos alegados pelo juiz Famblo Costa para negar a saída de trabalho externo.

Destituição do caso
Francisco Simim foi destituído da defesa do goleiro Bruno e assumiu novamente o caso nesta quinta (7) após ir até Francisco Sá (MG) e conversar com o ex-atleta, que assinou um documento o instituindo. Simim disse que o afastamento durou 24 horas, mas o G1 aguarda a confirmação do Tribunal de Justiça de Minas Gerais em relação a esse tempo.
O advogado não justificou a decisão de Bruno em tirá-lo da condução do processo, falou apenas que Marco Antônio Siqueira, que havia entrado no lugar dele, “aproveitou de um momento de fragilidade do goleiro”. “Agora ficou tudo bem, tudo em paz, o outro [advogado] teve que sair pelas portas do fundo”, complementou.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump