2º garoto brasileiro detido no abrigo de Chicago se reúne com a mãe após a decisão do juiz

“Até agora, eu estava perdida sem ele. Ele é minha única família. Sem ele, não há razão para estar aqui”, disse Sirley.

Pela segunda vez em uma semana, um juiz federal em Chicago ordenou que um menino brasileiro se reunisse com sua mãe depois que os dois foram separados pela lei de Tolerância Zero do governo Trump.

Sirley Paixão sorriu largamente, depois chorou quando ela abraçou seus advogados depois que o juiz distrital Manish S. Shah emitiu a ordem durante uma breve audiência. Sirley se reuniu com o filho Diego, 10, na tarde de quinta-feira(6), depois que o menino foi libertado de um abrigo em Chicago administrado pela Heartland Alliance.

Sirley puxou seu filho para perto enquanto os dois caminhavam para a calçada, o menino timidamente sorrindo para as câmeras de notícias.

“É bom”, disse Diego. “Eu me sinto aliviado”.

Diego disse que jogou muito futebol e assistiu a Copa do Mundo enquanto esperava para ver o que aconteceria.

Ele disse que está animado para jantar no McDonald’s antes que a família volte para Boston, onde ficarão com parentes.

Sirley disse que tinha problemas para comer e dormir nos dias que antecederam a reunião, mas valeu a pena estar junto novamente com seu filho.

“Estou aliviada por ter meu filho em minhas mãos agora”, disse ela. “Parece que um fardo pesado foi liberado dos meus ombros.”

Sirley e Diego foram separados pelos funcionários da alfândega em 24 de maio próximo a Santa Teresa, N.M., quando entraram ilegalmente nos EUA em busca de asilo.

Sirley confessou culpada de uma acusação de contravenção de tentar entrar ilegalmente no país, disse um de seus advogados, Jesse Bless, e ela foi sentenciada a cumprir pena. Bless disse que a detenção e a separação foram implementadas sob a política do governo de “tolerância zero”, que estava em vigor na época.

Sirley tem uma petição de asilo pendente e esta morando com amigos da família em Massachusetts enquanto procurava a libertação de seu filho.  Silrey impetrou mandado liminar temporário e liminar permanente em juízo federal contra a Imigração e Fiscalização Aduaneira pedindo que seu filho fosse libertado. Ela viu Diego na semana passada em Heartland, mas ele permaneceu lá enquanto o processo judicial estava pendente.

“Estou extremamente feliz, nem tenho palavras para expressar como estou me sentindo agora”, disse Sirley. “Até agora, eu estava perdida sem ele. Ele é minha única família. Sem ele, não há razão para estar aqui.

O juiz disse que o caso de Sirley reflete de perto a situação de Lidia Souza e seu filho, Diogo, 9, que também foram separados após cruzarem ilegalmente a fronteira EUA-México no final de maio. Shah na semana passada ordenou que Diogo soltasse sua mãe. “Meu pensamento sobre isso não mudou”, disse Shah.

Depois de responder às perguntas dos repórteres, a mãe e o menino caminharam em direção a um SUV que estava à espera. Diego beijou sua mãe na bochecha antes de partirem para a tão esperada refeição juntos no McDonald’s.

Notícias Relacionadas

Faça Um Comentário

O seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

A Semana » Developed by Truejump